Reality show usava spy cams em motéis

A polícia da Coreia prendeu os membros de uma gangue que resolveu capturar imagens íntimas de casais em motéis e com elas fazer um reality show, cobrando de quem quisesse ver as cenas. O crime durou quatro meses, iniciados em novembro do ano passado. Os criminosos transmitiram as imagens utilizando 42 câmeras instaladas em 30 motéis de duas cidades no sul do país. A polícia estima que foram filmados 1.600 casais.

As câmeras foram instaladas dentro de tomadas elétricas e também de receptores de TV a cabo. As câmeras demoraram ser descobertas porque as lentes têm apenas um milímetro de diâmetro. O streaming era transmitido por meio de servidores instalados fora do país. O site aberto pela gangue para proporcionar acesso aos “assinantes” tinha cerca de 4 mil usuários registrados e vendeu 809 vídeos, faturando o equivalente a US$ 6.200.

Replay

Entre os usuários, havia 97 que pagavam US$ 45 mensais para ter acesso a recursos extras como, por exemplo, fazer o replay de trechos do streaming.

As autoridades coreanas confirmaram que casos desse tipo já aconteceram antes. Recentemente, a mídia coreana informou que o cantor de K-pop Jung Joon-young  estava utilizando também spy cams para gravar cenas íntimas com suas namoradas e distribuindo os vídeos a seus amigos. Esse fato elevou as vendas de detectores de câmeras espiãs em todo o país.

Em setembro do ano passado, o governo coreano fez uma campanha de varredura em todos os banheiros públicos do país para descobrir se havia câmeras espiãs instaladas. Atualmente a justiça coreana está dobrando a pena aplicada aos envolvidos nesses crimes.

100Shares

, , , , , ,

Comments are closed.