Módulo, Unisys, Ágora e Comtex instalarão centros de comando da Copa

centro de comando em veículo

Centro de comando em veículo

A Secretaria Extraordinária de Segurança para Grandes Eventos (SESGE) assinou contrato com o Consórcio Brasil Seguro, que será responsável pelo fornecimento de soluções de tecnologia de informação, serviços e infraestrutura aos 14 Centros Integrados de Comando e Controle (CICC), previstos nas 12 cidades sedes da Copa do Mundo.

O projeto, que custará R$ 244 milhões, faz parte da arquitetura de segurança pública que está sendo desenhada para o evento. O Consórcio Brasil Seguro conta com a parceria e o know how de quatro empresas extremamente competentes com grande atuação e experiência de mercado que garantem o sucesso deste projeto: Agora Telecom, Comtex, Módulo e Unisys.

Sérgio Thompson-Flores, CEO da Módulo, empresa líder do consórcio, ressalta: “Ficamos felizes em fechar parceria com empresas de renomada reputação e comprovada experiência em projetos similares. É um privilégio para a Módulo e para as demais empresas participantes do Consórcio, termos vencido a licitação para implantar para a SESGE o mais ambicioso e complexo projeto de Centros de Operações e Gestão de Grandes Eventos do mundo. Muito nos orgulha que o consórcio vencedor tenha sido liderado por uma empresa brasileira, com software e capital brasileiros, demonstrando mais uma vez nossa capacidade enquanto empresa e país em prover soluções inovadoras e de tecnologia de ponta”

Para Vail Gomes, Diretor Comercial da Divisão de Segurança e Radiocomunicações da AGORA Telecom, o projeto é uma oportunidade para demonstração da competência dos fornecedores brasileiros. “Isso irá demonstrar a competência de nosso grupo na consolidação de tecnologias e equipamentos que contribuem para uma melhor gestão da segurança, para o atendimento ao público e para a manutenção da ordem”, avalia Gomes.

A COMTEX está otimista quanto aos resultados e principalmente quanto a parceria entre nossas empresas, que juntas, formam um grupo experiente e capaz de realizar esses grandes projetos.
Este projeto será um marco na história das quatro empresas envolvidas e demonstrará o quanto a indústria nacional evoluiu neste setor, competindo de igual para igual com todos os gigantes mundiais. Sergio Nercessian, CEO da Comtex, destaca: “Temos ainda a vantagem de conhecer bem o nosso país e principalmente as capitais, pois, a maioria já foi fruto de estudos e muitas delas já contam com algum de nossos parceiros fornecendo algum serviço.”

Agostinho Rocha, diretor-presidente para o Brasil e vice-presidente para América Latina da unidade de Tecnologia, Consultoria e Soluções de Integração (TCIS) da Unisys comenta: “Com mais de 90 anos de presença direta no Brasil e um histórico de projetos de missão crítica desenvolvidos para clientes do setor público, a Unisys se orgulha em fazer parte deste projeto de extrema relevância para o país, que estará suportado por uma avançada infraestrutura de tecnologia da informação”.

O processo de concorrência, que iniciou em junho deste ano, teve a participação de outros seis consórcios e contou com companhias, como IBM, Microsoft, Motorola, Oi e Telefônica, entre outras. Dos 14 Centros Integrados de Comando e Controle que serão implantados, 12 serão centros regionais, construídos nas doze cidades sedes do evento, e dois serão centros nacionais, localizados em duas cidades estratégicas: Rio de Janeiro e Brasília.  O projeto deverá ficar pronto até maio de 2014. Após a Copa do Mundo, os centros com toda sua infraestrutura será o grande legado desta iniciativa da SESGE para a segurança pública no país. Parte dos sistemas permanecerá mobilizada para suportar a segurança das Olimpíadas/Paraolimpíadas 2016 e parte será cedida aos Estados, por intermédio de critérios a serem estabelecidos pelo Ministério da Justiça e pelos Estados.

“Com os grandes eventos, surge para o Brasil a oportunidade de construir uma rede integrada de Comando e Controle. Trata-se de um novo conceito que irá habilitar as forças policiais do País a atuar em um ambiente de colaboração, interoperabilidade e gestão compartilhada. Este projeto constitui o embrião de uma nova Arquitetura de Segurança Pública, “ observa   Roberval França Diretor Geral do Consórcio Brasil Seguro.

Estrutura dos Centros

Ambientes:

1. Sala de Operações:
– Infraestrutura de Operações;
– Rede de Dados;
– Sistema de Vídeo-Wall;
– Sistema de Telefonia;
– Sistema de Radiocomunicação;
– Sistema de Atendimento e Despacho;
– Sistema de Gerenciamento de Eventos;
– Sistema de Vide monitoramento;
– Sistema Integrador;

2. Sala de Gerenciamento de Grandes Eventos e de Gerenciamento de Crise:
– Sistema de Videoconferência;
– Sistema de Vídeo-Wall;
– Sistema de Telefonia;
– Rede de Dados;

3. Sala de Inteligência:
– Infraestrutura de Inteligência;
– Rede de Dados;
– Sistema de Inteligência;

4. Dispositivos Externos:
– Rede de Câmeras distribuídas pelas Cidades;
– Dispositivos Móveis (tablets, terminais de rádio e telefonia móvel)
– Sensores de Tiro e outros dispositivos de sensoriamento.

Powered by WordPress. Designed by Woo Themes