Menu de Cima

FastPOS ameaça comerciantes na temporada de festas de fim de ano

Malware de ponto de venda tem o objetivo de roubar o máximo de dados possível


São Paulo, 15 de dezembro de 2016 – Com a temporada de festas de fim de ano se aproximando, os comerciantes devem ficar alertas quanto à segurança dos sistemas de pagamento em seus pontos de vendas (PdV’s).


Segundo a Trend Micro, a enorme quantidade de dados pessoais que passam por um dispositivo de PdV no momento da transação, tornam os sistemas POS um alvo potencial de malwares e outras ameaças cibernéticas.


Mais recentemente, a nova família de malwares de PdV FastPOS, foi atualizado e agora representa uma nova ameaça aos comerciantes, tornando o tipo de ataque mais sofisticado.


As características do FastPOS


O FastPOS, identificado pela Trend Micro como TSPY_FASTPOS. SMZTDA, rouba dados de cartão de crédito diretamente do sistema e exfiltra as informações para os seus servidores de comando e controle. Ao contrário de algumas outras famílias de malware, o objetivo do FastPOS é roubar o máximo de dados possível.


Ultimamente, o FastPOS recebeu uma atualização, fazendo com que ele se torne mais rápido, eficiente e ganhe novos recursos. De acordo com a Softpedia, a versão atual pode infectar computadores com arquiteturas de 32 bits e 64 bits e explorar Windows Mailslots para atacar empresas pequenas.


Por isso, a atualização do sistema serve como um lembrete de que o desenvolvedor do FastPOS continua ativo e que o malware pode se tornar uma ameaça ainda maior no futuro.


Como as pessoas são afetadas pelo FastPOS?


Independente da empresa operar em uma loja física, ambiente virtual ou em ambos, o FastPOS pode afetar os comerciantes com ataques projetados para o roubo do maior número de informações possíveis antes que seja detectado.


De acordo com uma pesquisa de 2015 realizada pela Bankrate e Princeton Survey Research Associates International, 39% dos compradores planejam usar dinheiro, mas 53% afirmaram que irã usar cartões de débito ou crédito para a temporada de festas de fim de ano. Os desenvolvedores do FastPOS compreenderam esta tendência e a atualização chegou em um momento que é, muito provavelmente, o mais ameaçador para os comerciantes.


Como os varejistas podem se proteger contra o FastPOS?


Conforme demonstrado pela Trend Micro, o malware é constantemente atualizado, tornando-se cada vez mais sofisticado, visando explorar vulnerabilidades de segurança conhecidas nas soluções de PdV.


Ao invés de congelar as operações de TI, os comerciantes devem considerar este momento para reavaliar a proteção do PdV e fazer as mudanças necessárias. Além de tudo, a segurança do consumidor irá fornecer uma experiência melhor para os clientes e não terá suas informações financeiras comprometidas.


0Shares