Executivo da Forcepoint expõe os riscos do tráfego invisível

cassio-de-alcantaraQuais os riscos que as empresas enfrentam com o tráfego invisível da Web, que por desconhecimento das equipes de TI torna-se potencialmente perigoso ao comprometer a segurança de dados, conformidade e produtividade de toda a organização? E como a inteligência cognitiva pode ser inserida no processo para auxiliar a controlar o tráfego nas empresas que fazem uso de tecnologias transformadoras, como a IoT, por exemplo? Esta é a temática da palestra que Cássio de Alcântara, gerente regional de vendas Brasil da Forcepoint, irá apresentar na Faculdade SENAI Fatesg, de Goiânia (GO), em 7 de abril, às 19h.

Denominado pelo executivo como TIPP (Tráfego Invisível Potencialmente Perigoso), refere-se a todo conteúdo sem classificação que os gestores de TI aplicam como “não categorizados” no gateway de acesso. Apesar do aumento significativo de sites de conteúdo dinâmico, a maior parte das empresas ainda não entende os seus riscos.

“A categoria mais povoada no log de dados dos sistemas de segurança é a de ‘não categorizados’, sendo que nesta classificação todo conteúdo malicioso pode estar embarcado dentro das redes sem a devida análise de segurança, implicando em riscos que incluem também fatores legais, perda de produtividade e roubo de informações”, explica Alcântara.

Ainda de acordo com o executivo, o processo cognitivo está muito ligado à Internet das Coisas (IoT) e, em sua essência, inserido na maioria da ferramentas de segurança de perímetro como uma decorrência do efeito TIPP. “E para entender e controlar este tráfego, a visibilidade e a grande capacidade de entendimento deste processo tornam-se essenciais. Detectar é a estratégia-chave e não simplesmente defender. Controlar o efeito TIPP é fundamental para o sucesso das futuras implementações”.

A oportunidade valerá para os CIOs e CISOs das empresas de Goiânia entenderem de forma prática como muitas vezes, por desconhecimento, suas empresas estão em contínuo perigo por não contarem com uma solução que analisa em  tempo real todo o conteúdo Web embarcado no tráfego corporativo.

A Forcepoint, empresa criada no início de 2016 a partir da integração da Websense®, Raytheon Cyber Products e da Stonesoft, traz uma abordagem renovada para enfrentar os desafios da cibersegurança que estão em constante evolução e as exigências regulatórias que se deparam as empresas e órgãos governamentais. A nova companhia capacita organizações a impulsionarem seus negócios, mediante a adoção segura de tecnologias transformadoras – nuvem, mobilidade, IoT e outras – através de uma plataforma unificada e centrada na nuvem que protege usuários, redes e dados, ao passo em que elimina as ineficiências envolvidas no gerenciamento de uma coleção de produtos de segurança de terminais. A plataforma da Forcepoint protege contra ameaças internas e externas, detecta brechas de segurança com rapidez, reduz ao mínimo o “dwell time” – o período entre o compromisso e a reparação – e impede o roubo de dados.

A entrada é franca e as inscrições são limitadas. Mais informações através do tel.: 62 3269-1200.

Palestra “Tráfego Invisível e Potencialmente Perigoso. Quais são os riscos?”

7 de abril, 19h

Faculdade SENAI Fatesg

Rua 227-A, no 95, ST. Leste Universitário – Goiânia/GO

0Shares

Powered by WordPress. Designed by Woo Themes