Avast comprova comportamento “descuidado” no uso de Wi-Fi

A Avast Software, produtora da mais confiável segurança para PCs e dispositivos móveis no mundo, revelou hoje os resultados de uma experiência de invasão com Wi-Fi no Aeroporto de Barcelona, feita no fim de semana anterior à abertura do Mobile World Congress, para demonstrar como as pessoas estão correndo riscos em redes Wi-Fi públicas. A experiência, feita por pesqusiadores de segurança da Avast, revelou que milhares de visitantes de eventos deixam seus cuidados de lado ao buscarem uma conexão de Wi-Fi pública, correndo o risco de serem espionados e sofrerem a intrusão de cibercriminosos em seus dispositivos.

Para esse experimento, os pesquisadores da Avast criaram redes Wi-Fi perto do balcão de registro do Mobile World Congress no Aeroporto de Barcelona. Os nomes das redes Wi-Fi eram “Starbucks”, “Airport_Free_Wifi_AENA“ e “MWC Free WiFi” — nomes Wi-Fi (SSIDs) que são bem comuns ou que parecem ter sido preparados para os visitantes do congresso. Com dispositivos móveis geralmente preparados para se conectarem a SSIDs automaticamente, os usuários ocasionalmente são negligentes com as redes nas quais estão se conectando. Embora conveniente para muitos, esse recurso traz o risco de que alguém seja espionado por cibercriminosos que tenham aberto uma rede Wi-Fi com um SSID comum e aparentemente confiável. Pior ainda, em qualquer rede Wi-Fi sem senha todo o tráfego de Web pode estar visível a qualquer um. Para mitigar estes riscos, simples ferramentas de monitoramento de Wi-Fi estão disponíveis online gratuitamente.

Em apenas 4 horas, a Avast coletou mais de 8 milhões de pacotes de dados em tráfego e descobriu o seguinte sobre os participantes do Mobile World Congress:

  • 50,1 por cento tinham um dispositivo Apple, 43,4 por cento tinham um dispositivo Android e 6,5% um dispositivo Windows Phone
  • 61,7 por cento buscaram informações no Google ou checaram seus emails no Gmail
  • 14,9 por cento visitaram o Yahoo
  • 2 por cento visitaram o Spotify
  • 52,3 por cento tem o app do Facebook instalado e 2,4 por cento o do Twitter
  • Em 63,5 por cento do total a Avast pode visualizar a identidade do dispositivo e de seu usuário

“Muitas pessoas reconhecem que navegar na internet por uma rede Wi-Fi aberta não é seguro. No entanto, algumas dessas mesmas pessoas não se dão conta de que seus dispositivos podem estar se conectando automaticamente a uma rede Wi-Fi, a menos que elas desliguem esse recurso,” disse Gagan Singh, presidente de mobile da Avast. “Com a maioria dos visitantes do Mobile World Congress vindo do exterior, não é de espantar que muitos optem por conectar-se a redes Wi-Fi gratuitas para economizar, ao invés de usar os serviços de dados em roaming das operadoras. Para poderem fazer isso com segurança, as pessoas devem utilizar um serviço de VPN, que oculta seus dados ao se conectarem em hotspots públicos, garantindo que a conexão seja segura.”
O Avast SecureLine VPN para dispositivos Android e iOS criptografa os dados nas conexões em Wi-Fi públicos não-seguros e permite que os usuários naveguem anonimamente. O aplicativo também permite aos usuários escolherem servidores específicos para se conectarem, de modo que possam acessar conteúdo em seus países, especialmente naqueles onde o tráfego de dados é restrito por meio de geo-localização.
No Mobile Wold Congress em Barcelona, no Hall 8.1 (App Planet), Booth no. H65, os visitantes podem assumir a cadeira e o computador de um hacker e visualizar dados que estão circulando sem criptografia numa rede Wi-Fi. Durante a exposição, a Avast está apresentando o aplicativo Avast SecureLine VPN, que está disponível gratuitamente no Google Play e na  Apple App Store.

0Shares

Powered by WordPress. Designed by Woo Themes